Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Planeta Azul

Mantenhamos o Planeta Azul e limpo. Não sejamos egoístas, pensem no futuro dos que vão chegando

Mantenhamos o Planeta Azul e limpo. Não sejamos egoístas, pensem no futuro dos que vão chegando

Planeta Azul

Eu sou um guarda-rios comum (alcedo atthis) e azul, tal como o Ventor gosta. Caminharei por aqui, neste Planeta Azul e, na companhia do Ventor, se nos deixarem


Águia de asa redonda, uma amiga do Ventor


DSC07206a.jpg


Planeta Azul - Na Rota do Lince Ibérico

A beleza do Lince Ibérico. Foto tirada da Wikipédia atribuída ao "Programa de Conservación Ex-Situ del Lince Ibérico

12
Fev09

Dias de Inverno ...

Ventor

... a anunciar a Primavera.

 

 

O João hoje foi passear até ao Borel

 

Hoje fui dar uma pequena caminhada. O meu amigo Apolo estava luminoso, a temperatura estava amena e o céu estava bem azulinho, ingredientes indispensáveis para uma bela caminhada.

Levei o João comigo e arranjei-lhe uma amiguinha para as suas futuras caminhadas por ali. Era apenas uma lagartixa - a lagartixa do Borel!

 

 

A lagartixa do Borel

 

Ela entrava e saía dos buracos entre as bases das folhas velhas que foram cortadas em anos passados e depois optou por se instalar num sítio bem fresquinho à sombra onde não fosse incomodada, mas o meu amigo Apolo disse-lhe: "pensas que fojes assim ao Ventor? Se te quiseres aquecer tens de conviver com o Ventor"! Ela pensou melhor e regressou ao estrado da luz e do calor.

O João olhou a lagartixa sem perceber nada mas, se o Ventor perdia tempo com ela, pensou ele, seria porque valia a pena.

E vale! Quando não houverem bichinhos destes, o que será feito de nós?

 

Depois ensinei o João a apreciar as flores, tal como em tempos fiz com a Joana. Lembram-se da Joana?

Encontramos um abrunheiro com flores lindas e comecei a mostrar-lhe os botõezinhos pequenos. Depois fui seguindo a sequência do seu crescimento até chegar às maiores.

 

 

Botões de flores do abrunheiro

 

Quando observávamos as flores, do centro do abrunheiro veio o som de um duende. Esse som dizia-nos tudo!

"Ensina-o Ventor, ensina-o! Diz-lhe que sem nós o mundo morre"!

O João olhava as flores muito compenetrado. Será que ouviu o som como eu?

 

 

Olhem como elas sorriem!

 

Façam como eu e o João. Deixem sorrir as flores!

Eu quero ser eterno companheiro do Ventor na nossa Grande Caminhada

Alcedo_azurea_-_Julatten.jpg

1 comentário

Comentar post