Hoje é o dia da Terra mas, a Terra não devia ter só um dia. Todos os dias deviam ser dia da Terra. Quando digo Terra (sempre com T grande, notem bem), refiro-me ao nosso Planeta Azul. Aquela bola azulada que se vê do espaço, lá bem de longe, como a têm visto todos aqueles que fizeram a sua Grande Caminhada pelo grande Espaço, para além da nossa atmosfera. Portanto, pela Exosfera dentro.

 

Os nossos amigos do Chalanger, do Atlantis, de uma Soyus qualquer coisa, têm mostrado para todos nós, a beleza desta bola azul muito para além dos narizes que lhe apontavam. E ela, essa bola azul, como todos sabemos, é o nosso ninho.

Ei-la, a Bola Azul, o Planeta Terra a que eu e outros chamamos o Planeta Azul:

 

 

Não é lindo o nosso Planeta Azul? Pois, ... é azul!

 

Mas sempre que eu caminho num nicho do nosso Planeta Azul, por muito pequeno que seja, ele é lindo. Sempre que observo campos de flores ou os meus amigos penudos, e aquela belas e variegadas de cores, de uns e outros, só posso concluir que o nosso Planeta Azul é uma beleza. Ainda ontem e hoje, caminhei entre belas flores e belos penudos e continuo a concluir que, sem eles, nós não éramos nada. Nada! A cadeia dos seres vivos é um emaranhado de certezas. Eles são tudo, nós somos o complemento.

 

DSC01257.jpg

 

Papoilas, belezas deste Planeta Azul

 

Todos nós, não somos nada, uns sem os outros. Afinal, nós somos o mundo! Mas, considerando que só o homem é racional, pelo menos até certo ponto, pois continuamos a sonhar que apenas nós fomos bafejado pelo Senhor da Esfera, para tentarmos caminhar em sua direcção, somos nós que, temos tramado tudo e temos de ser nós, o homem, a repor tudo o que o mesmo raciocínio nos mostra ter de ser feito.

 

DSC01334.jpg

 

A terceira rola brava que observei este ano - ontem

 

DSC01250.jpg

 

 Papoilas

 

Eu sou daqueles que andam aos saltos entre o que foi, o que poderá ter sido e o que gostaríamos que tivesse sido. Eu sou daqueles que pensa nas mensagens deixadas pelos sumérios e outros. Eu sou daqueles que pensam "porque não"? Porque não vieram os deuses de um lado qualquer? Porque não vieram os reis, de milénios atrás, do espaço? Porque não (dizem alguns dos sabidos), se foram escritos em metais ou rochas que não existem na terra? Porque temos de duvidar de tudo que nos dizem, se nos dizem que, realmente, pode ter sido? Porque não?

 

DSC01479.jpg

 

DSC01505.jpg

 

Belezas Penudas deste Planeta AZul. Eles esvoaçaram de entre as ervas, onde se alimentavam, para as olaias, observando e gritando "avé Ventor"!

 

Mas não vamos pensar nisso, deixemos isso para os experts. Pensemos como devemos recuperar tudo o que está a ser perdido. A maioria dos animais e plantas, no nosso Planeta Azul, estão em plano inclinado - vias de extinção. Temos de fazer um trabalho titânico para recuperarmos muito do que estamos a perder. Então, se somos animais de raciocínio, raciocinemos! 

 

DSC01259.jpg

 

 Papoilas, uma de cada cor - todos os dias recebo mensagens das belezas do nosso planeta Azul. Ou reais ou em sonhos

 

Vamos velar pelos nossos companheiros de caminhada, pelo nosso Planeta Azul e, velando por todos eles, velaremos por nós próprios. Até os escamurros dos Chineses e dos Americanos (born in USA), já chegaram a essa conclusão. Assinaram hoje, o acordo de Paris, sobre o Aquecimento Global. Mas será necessário fazer muito mais! Mesmo que comecemos lentamente, temos de acelerar ao máximo.

Vamos a isso.

 

 

 

Eu sou um guarda-rios comum (alcedo atthis) e azul, tal como o Ventor gosta. Caminharei por aqui, neste Planeta Azul e, na companhia do Ventor, se nos deixarem

publicado por Ventor às 23:26