Todos já ouvimos falar do que se tem passado sobre o chamado efeito de estufa. Todos já ouvimos falar sobre apagões eléctricos, todos, ou quase, já viram ou ouviram falar do filme do Sr. Algore, todos já estão fartos de ouvir falar de poluição, todos ... pois já!

 

Mas ninguém liga!

 

Eu próprio, que me preocupo, muito a sério, com essas coisas, também acabo por não ligar tanto como deveria e, afinal, tudo começa nas pequenas coisas. Há dias, estavam os avós do Tomás à nossa espera e, quando saí a porta da rua, encontrei a avó do Tomás muito escandalizada e refilona.

 

Perguntei-lhe o que tinha acontecido e disse-me: «foi o raio de uma velhota, daquele prédio que vinha com papéis na mão, chegou à porta, deitou os papéis fora, tirou a chave, abriu, entrou, e deixou o lixo para os outros».

 

São pequenas acções destas que transformam o nosso planeta azul e belo, num planeta muito cinzento e, portanto, feio. Transformam lentamente, mas com muia eficácia, aquilo que ainda temos de bom em algo de muito mau! É que são milhões de pessoas a fazer estrago! E são, se calhar, por certo, eu já conheci gente dessa, os primeiros a refilar contra as políticas públicas de limpeza.

 

Como já disse, várias vezes, gente porca encontra-se em todas as classes sociais. Já vi, desde o mais sucata dos carros aos mais potentes topos de gama, deitar lixo pelas janelas e se os desgraçados que vivem na imundice, podem muito bem conviver com isso, julgam eles, já se torna intolerável que tipos chamados "grã-finos" o façam.

 

E sabem uma coisa?

 

Há momentos que me apetecia fazer uma guerra com gente desta!

 

Eu sou um guarda-rios comum (alcedo atthis) e azul, tal como o Ventor gosta. Caminharei por aqui, neste Planeta Azul e, na companhia do Ventor, se nos deixarem

tags:
publicado por Ventor às 22:39