Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Azul

Mantenhamos a beleza do nosso Planeta Terra. Temos de o proteger

Planeta Azul

Mantenhamos a beleza do nosso Planeta Terra. Temos de o proteger

Lince.jpg 

Planeta Azul - Na Rota do Lince Ibérico

A beleza do Lince Ibérico. Foto tirada da Wikipédia atribuída ao "Programa de Conservación Ex-Situ del Lince Ibérico


Depois? Bem, depois ... vamos caminhando!


O Cantinho do Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
Observar o Passado
Adrão e o Ventor
A Grande Caminhada
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Coisas Lindas do Ventor
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores

17.03.14

Sol, Sol, Sol, ...


Ventor

... Apolo, Senhor da Luz, Inti ... como quiserem - O Deus da Luz!

 

Esperei por ele todo o inverno e chegou há dias. Com calma, sem pressas, devagar! Ele elaborou a alegria que imana das flores, nos seus coloridos e formas. A sua presença transmite-nos beleza. Ajuda-nos a caminhar.

 

 

No Planeta Azul, o amarelo é companhia das caminhadas do Ventor

 

 

 No Planeta Azul, os tons azuis são belezas das caminhadas do ventor

 

E como eu esperava o Sol!

Como eu esperava ver os pássaros tomar banho no rio!

Como eu gosto de caminhar entre as árvores da floresta, entre os arbustos, entre as flores e como gosto de ver, saídas do verde, todas as belezas coloridas nos seus louvores a Apolo!

 

Caminhava eu, arrastando-me, num dos pequenos nichos da serra de Sintra e ouvi: ... pst! Pst! ...Pst! Pst! ...

Olhei em volta, por entre as copas das árvores, pinheiros, eucaliptos, ... e, por entre as folhagens, observei, no imenso azul, iluminado pela  presença do meu amigo Apolo, a minha amiga Diana em forma de quarto crescente, sorrindo-me.

 

 

 No Planeta Azul, as flores da Pedrada também acompanham o Ventor na serra de Sintra

 

Sorri também para ela enquanto Apolo, luminoso e risonho, nos ia observando.

Voltei a olhar o chão de onde me espreitavam lindas flores selvagens, espontando, aqui e ali, por entre os arbustos que tinham sido fustigados por chuvas zurradas pelo vento e, entre elas, as flores azuis, às quais, popularmente, é dado o nome das "sete sangrias". A seu lado, outras todas felizes a contemplar-me, na minha alegria de caminhar ao sol.

A meu lado, os medronheiros mostravam-me, entusiasmados, as suas flores brancas, algumas matisadas de rosa. Voltei a olhar as "sete sangrias" no seu azul carregado.

 

 

No Planeta Azul as Ericas rosadas continuam a caminhar ao lado do Ventor 

 

Pst! Pst! ... Pst! ... À minha frente uma Erica rosada, toda florida que conseguiu, arrastar até mim, as minhas Montanhas Lindas prestes a ficarem rosadas também. Elas caminharam pelos meus olhos e pelo meu cérebro ao observar aquela moita toda rosada, três metros à minha frente.

 

Pst! Pst! Pst! ... Algo me escapava! Eu tinha caminhado a observar a serra que subia à minha esquerda e era sobre a minha esquerda que tinha concentrado os meus raios visuais, observando o chão florido e as árvores, entre elas, alguns medronheiros. Escapava pois! Durante um trajecto, não longo, deixara de olhar para a minha direita, onde o alcatrão, os carros e as motas tinham deixado de me chamar a atenção.

 

Eu sei que em Sintra há muitos bichos e, com este sol, e aumento das temperaturas, as cobras estão prestes a saírem da sua hibernação mas, em Sintra, não há lobos! Por esse motivo, não sinto necessidade de varrer com os meus olhos os 360º à minha volta.

 

 

Urze branca

 No Planeta Azul, o azul, o branco, o rosa, os mates, caminham sempre ao lado do Ventor ...

 

 

... e sempre na companhia do meu amigo Apolo

 

Pst! Pst! ... Pst! Porém, algo me dizia que ali, junto de mim, fosse o que fosse, apelava aos meus sentidos. Inclinei a visão para a minha direita e, quase junto à minha perna, uma urze branca, toda florida, insistia que eu devia ser mais atento e, tal como sempre faço, não deixar que, triângulos do circo à minha volta, permaneçam um espaço de escuridão.

Diana, lá do alto, sorriu e gritou-me que a minha amiga Primavera já caminhava por ali, e que, este ano, na sua coroa de flores, predominavam as flores das urzes brancas, resplandecentes. E que, por isso, resolvera deixar no meu caminho a urze branca florida.

 

 

 Mas os Crocus, multifacetados também estão sempre prersentes. Neste caso, uma dádiva do meu amigo Neptuno

 

Peguei a minha máquina e disparei clicks sobre clicks imaginando como, quando eu observar a minha amiga Primavera, ela apresentará a sua auréola florida com flores de urzes brancas e que linda ela será!

 

Depois de meses de chuvas e frios, onde no meio de tantas tormentas apenas tinha a alegrar-me os amigos penudos que caminhavam junto de mim, pelos choupos, tive a oportunidade de voltar a observar as belezas do nosso Planeta Azul.

 

 

 Belezas que me esperam nas minhas caminhadas, por este belo Planeta Azul

 

Mas, como até agora, voltarei a caminhar, bem alerta, na tentativa de ser presenteado pela urze que me falta - a urze roxa ou urze rosa.

Eu sei que ela estará por aí, algures, a embelezar o nosso Planeta Azul.



Eu quero ser eterno companheiro do Ventor na nossa Grande Caminhada